Sobre o Projeto

Projetada no rio Mourão, no município de Peabiru, Paraná, a Central Geradora Hidrelétrica OURO BRANCO se localiza na Fazenda Ouro Branco, com a Casa de Força nas coordenadas 23°58’6,2” S e 52°14’01,00” W, e Barragem nas coordenadas 23°59’43,10” S e 52°1356,60” W. A montante deste projeto, no rio Mourão, estão as UHE Mourão e a PCH Salto Natal, esta situada a 17 Km águas acima. Essas usinas garantem a perenidade das águas, permitindo à CGH Ouro Branco possuir um reservatório mínimo.

A Central Geradora Hidrelétrica Ouro Branco será formado por uma barragem de concreto por gravidade com altura de 3,5 m no trecho do vertedor, e 68m de extensão, que represará o rio Mourão na cota de elevação 376,50m seu dique lateral serpa de enrocamento com núcleo de argila, com 8m de altura e 90m de comprimento. Seu Reservatório terá apenas 9,21 ha, que alagará 6,14 ha além da atual caixa do rio.

A Barragem será levantada em concreto armado com contrafortes, que desviará parte das águas do rio através de um Canal Adutor superficial de 1.573m de extensão, escavado em terra e rocha, a céu aberto. Ao final deste as águas serão introduzidas em dois Condutos Forçados de 56,0m de comprimento e 2,00m de diâmetro interno cada, chegando à Casa de Força. Nesta serão instaladas duas Turbinas Francis Rotor duplo. Depois de captar seu potencial energético as águas serão devolvidas ao rio pelo canal de restituição, no nível normal de cota 355,00 m. No corpo da barragem estarão três dutos de vazão ecológica, sem comportas de controle, com capacidade de vertimento de 2,10 m3/s. Preferiram-se três dutos para melhor distribuir as águas pela seção de jusante do rio, onde o rio se apresenta raso, formando pequena corredeira. Ocorrendo estiagem com intensidade suficiente para reduzir a vazão do rio, a geração poderá até ser interrompida, porém será mantida a ecologia do rio. Não haverá deplecionamento operacional.

O aproveitamento prevê gerar um volume de 2,56 MW médios, através dos dois geradores, que terão potência unitária de 2.500 kVA. A energia produzida resultará da vazão turbinada de 10,48 m3 /s em uma queda líquida nominal de 23,00 m. Uma rede de transmissão levará a energia até a cidade de Peabiru, entregando-a ao Sistema Interligado Nacional através da COPEL, Companhia Paranaense de Energia.

Em torno da represa estará a Área de Preservação Permanente – APP, formada por matas existentes, que serão mantidas, e matas plantadas com espécies nativas, recuperando-se pequenas porções alteradas. Esta área protetora, com 50m de largura, abrigará a fauna que ainda se refugia nas poucas matas ciliares do rio Mourão.

O Estado do Paraná possui em sua Constituição postulado que reconhece a importância de empreendimentos como este e recomenda declaradamente incentivar sua implantação. O Projeto Básico da CGH Ouro Branco foi desenvolvido pela empresa Design Head Engenharia & Construtora Ltda..